logo

top

imagemlandscape

BREVE HISTÓRIA

Tudo teve início em 1998, na vigília de Pentecostes, quando o Papa João Paulo II reuniu os Movimentos e as Novas Comunidades em Roma e pôs em relevo o papel essencial que têm na Igreja.

Os fundadores e responsáveis de vários movimentos, para responder ao apelo do Santo Padre no sentido de favorecerem um mútuo conhecimento entre todos, iniciaram um percurso de comunhão, tendo em vista reavivar a alma cristã da Europa.

Esta comunhão foi alargada a movimentos de outras igrejas cristãs

De facto, deram-se passos no sentido de, como cristãos, colaborarmos para preencher o enorme vazio religioso da Europa. Pediu-se perdão reciprocamente pela divisão do passado e mais tarde fez-se um pacto: o pacto do amor recíproco entre todos, que permite experimentar a presença de Cristo, segundo a sua promessa: “Onde dois ou mais estiverem reunidos no meu nome, Eu estou no meio deles”.

Com este espírito de comunhão realizaram-se em Estugarda, na Alemanha, em 2004 e em 2007, duas grandes jornadas europeias com o lema “Juntos pela Europa” nas quais participaram também muitos representantes portugueses. Na primeira, com cerca de 9.000 pessoas de 170 movimentos e comunidades cristãs, entre os quais 50 bispos de várias igrejas e muitos políticos, houve um solene compromisso com o “Pacto de Amor Recíproco”.

Na segunda participaram já 240 movimentos e comunidades cristãs e manifestou-se a urgência da “comunhão” entre todos, assim como do trabalho de renovação espiritual e social como contributo para uma Europa mais unida, mais humana e mais responsável. Na conclusão desta Jornada surgiu um Manifesto intitulado “os 7 SIMs”, o qual sublinha em 7 pontos o desejo de contribuir para uma Europa unida apesar das diferenças, numa colaboração efetiva entre os Movimentos e aberta a todas as pessoas.

Estas experiências de comunhão levaram a que, a partir de 2009, em diversos países da Europa, Movimentos e Comunidades Cristãs se reunissem e trabalhassem juntos para reavivar a alma cristã da Europa.

Um manifesto baseado na fraternidade

No dia 12 de Maio de 2012, houve uma nova celebração que envolveu simultaneamente cerca de 150 cidades europeias. O evento central teve lugar em Bruxelas, no Square Meeting Center, com a presença do antigo Presidente da Comissão Europeia, Romano Prodi. À celebração chegaram mensagens de encorajamento, do Presidente da Comissão Europeia e do Presidente do Conselho Europeu H. Van Rompuy. No final os Movimentos e Comunidades Cristãs presentes acordaram um Manifesto. No último parágrafo pode ler-se: "Hoje, decididamente, queremos afirmar que a nossa fraternidade está ao serviço da unidade e da paz da Europa e de toda a família humana. Juntos, comprometemo-nos aqui em Bruxelas, berço do sonho europeu, por uma Europa unida, solidária e acolhedora. Que o nosso viver juntos entre europeus, seja sinal de liberdade, justiça e solidariedade. Juntos, queremos construir uma Europa que se abra com generosidade aos desafios do mundo pobre. Uma Europa que ponha o anseio de paz e a convivência, no centro das suas preocupações e do seu trabalho."

Em Portugal, 5 cidades participaram na celebração (Coimbra, Faro, Funchal, Lisboa e Porto).

 

Veja aqui as fotos do evento em Portugal e nos outros países.

Portugal: https://www.flickr.com/photos/together-for-europe/collections/72157629590483626

Outros países: https://www.flickr.com/photos/together-for-europe/collections

 

Notícias

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9

Agenda

Sem eventos


  • SIM à Vida

    Dizemos SIM à vida e empenhamo-nos a defender a sua dignidade inviolável em todas as suas fases, da concepção à conclusão natural.



  • SIM à família

    Dizemos SIM à família ligada por um pacto indissolúvel de amor entre homem e mulher, raiz de uma sociedade solidária e aberta ao futuro.



  • SIM à criação

    Dizemos SIM à criação, protegendo a natureza e o ambiente, dons de Deus a serem tutelados com empenho respeitoso pelas gerações presentes e futuras.



  • SIM à solidariedade

    Dizemos SIM à solidariedade para com os pobres e os marginalizados, próximos e distantes; são os nossos irmãos e irmãs. Pedimos aos nossos governos e à União Europeia que se empenhem com decisão a favor dos pobres e do desenvolvimento dos países desfavorecidos, em modo especial da África.



  • SIM à paz

    Dizemos SIM à paz e empenhamo-nos para que nas situações de conflito se possa chegar a um entendimento e à reconciliação, através do diálogo. Sem a paz o nosso mundo não tem futuro.



  • SIM à responsabilidade

    Dizemos SIM à responsabilidade para com a sociedade e trabalhamos para que as cidades se tornem, com a participação de todos , lugares de solidariedade e de acolhimento a pessoas de origens e culturas diferentes.



  • SIM a uma economia justa

    Dizemos SIM a uma economia justa, ao serviço de cada pessoa e de toda a humanidade.

  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7